Centro de Documentação

Os materiais de OEIC são apresentados apenas para utilização por clientes existentes e não para a venda dos fundos.

De 16 de novembro a 4 de dezembro de 2019, as fichas informativas Threadneedle Lux de outubro publicadas aqui, continham um erro nas informações do desempenho líquido. O erro foi corrigido e as fichas informativas foram novamente publicadas a 9 de dezembro de 2019.  Pedimos desculpa por qualquer inconveniente causado.

 

Os resultados brutos apresentados anteriormente para determinadas contas poderão ter sido baseados em dados incorretos entre 1-Dez-2008 – 31-Dez-2019. Os preços de negociação e as rendibilidades líquidas de desempenho, bem como os valores das contas de clientes ou o VPL dos fundos, não foram afetados. As informações relativas aos resultados brutos corretos (recalculados) para os fundos afetados podem ser encontradas em columbiathreadneedle.com/fund-updates na página de perfil de cada fundo, juntamente com os resultados incorretos comunicados anteriormente. Também é apresentado qualquer desvio entre os dois valores.

 

O desempenho passado não é um indicador do desempenho futuro. O seu capital está em risco. O valor dos investimentos e de qualquer rendimento não é garantido, poderá diminuir ou aumentar e ainda ser influenciado por flutuações nas taxas de câmbio. Isto significa que um investidor poderá não recuperar a quantia investida. O presente material serve apenas para fins informativos e não constitui uma oferta ou solicitação de uma ordem de compra ou venda de quaisquer títulos ou outros instrumentos financeiros, ou para prestar consultoria ou serviços de investimento. Se tiver dúvidas quanto à adequação de qualquer investimento, deverá contactar o seu consultor financeiro.

 

Se o Reino Unido deixar a UE sem um acordo, os fundos do Reino Unido (tanto fundos OICVM como não OICVM) poderão sofrer um aumento dos níveis de retenção na fonte de impostos sobre os seus investimentos, uma vez que perderão o seu estatuto de OICVM e deixarão de ser considerados beneficiários da UE. Como resultado, serão aplicadas taxas de retenção na fonte mais elevadas sobre os pagamentos de dividendos e de juros recebidos pelos fundos do Reino Unido, o que aumentará o agravamento fiscal sobre o desempenho dos fundos.